Episódio 2x05 - The Ghost of Harrenhal


No acampamento de Renly, este fala com Catelyn acerca das intenções de Robb e Renly concorda em não fazer dele um inimigo. É então que na tenda entra a sombra que Melisandre deu à luz no final do episódio anterior, apunhalando Renly nas costas, perante uma horrorizada Brienne. A sombra desaparece e enquanto Brienne se curva perante Renly, aparecem guardas que a atacam, mas são vencidos por ela. Catelyn convence Brienne que deverão fugir com o argumento que só assim conseguirá vingar a morte de Renly. Ora aqui está uma cena que julguei que fosse deixada para o final de um episódio - por ser mais uma morte de uma das personagens com algum destaque na série, mas aqui optaram por colocá-la no início, talvez para fazer a ponte com o final do quarto episódio. A cena pareceu-me bem, mas penso que poderia ter tido mais impacto. O que também me pareceu ficar um pouco aquém foi a reação de Loras, o amante de Renly, perante o acontecimento. Compreendo a necessidade de demonstrar algum recato, mas senti alguma falta de emoção na interpretação de Finn Jones. Na mesma cena, vemos como Margaery está relativamente indiferente à morte do seu marido e revela ambição de não ser apenas uma rainha, mas "a" rainha. Ora, isto afasta bastante a personagem da série da personagem dos livros, na medida em que aqui parece muito mais ambiciosa e inocente. Não sei se gosto da mudança, mas uma coisa que ainda não me conquistou foi a presença de Natalie Dormer.

Mais tarde, no mesmo acampamento, Stannis fala com Davos e este tenta contar o que viu na caverna, mas Stannis recusa-se a falar sobre o assunto. Falam antes sobre as perspetivas do ataque a King's Landing, que agora parece cada vez mais iminente, com a junção das forças que antes apoiavam Renly. Davos continua a tentar avisar Stannis contra Melisandre, e este decide que ela não participará no ataque.

Em King's Landing, Tyrion e Cersei discutem a morte de Renly e os boatos quanto ao responsável. Falam também sobre os preparativos para a iminente guerra com Stannis Baratheon e Cersei informa Tyrion que Joffrey está a tomar precauções, mas não diz ao irmão quais. Tyrion fica a saber por intermédio de Lancel que Cersei encarregou a Guilda dos Alquimistas de produzir uma arma poderosa - o wildfire - que deverá ser lançado aos barcos de Stannis. Tyrion visita o piromante Hallyne, responsável pela produção dessa arma, que lhe explica as suas capacidades, apesar das reticências de Bronn. Hallyne mostra os milhares de exemplares da substância, que foram sendo produzidos dia e noite por ordens da rainha, e Tyrion deseja que a partir daquele momento sejam produzidos para ele. Peter Dinklage em grande nestas cenas, como tem vindo a ser hábito, e gosto cada vez mais das intervenções de Bronn - uma das minhas personagens secundárias preferidas.


Nas Ilhas de Ferro, Theon prepara-se para embarcar no seu navio e tem de lidar com o desprezo e a falta de confiança dos homens que o acompanharão. Assim que a sua irmã Yara aparece a atitude muda completamente e esta aproveita para rebaixar ainda mais o irmão. Lamento, mas não gosto desta personagem. Nos livros nunca foi propriamente a minha preferida, mas aqui parece apenas uma mulher mimada, com vontade de provar que é muito melhor que o irmão e que a mim só me causa revirares de olhos. Theon acaba por ser ajudado por Dagmer, que o aconselha a tentar provar o seu valor aos homens de modo a conseguir respeito.

E neste episódio temos a Patrulha da Noite de regresso. Para começar, adorei as paisagens da Islândia, que dão às cenas um tom real que me parece absolutamente necessário para que o espetador consiga sentir a aspereza do clima em que se encontram. A Patrulha chega ao Punho dos Primeiros Homens, um local com uma história muito antiga, que Sam conhece através dos livros. Esse foi o local combinado com Qhorin Halfhand, um homem da Patrulha, que está a par dos planos de Mance Ryder, o líder dos selvagens, em rumar a sul. Qhorin considera que não deve ser feito um ataque aberto a Mance, mas antes uma surtida com poucos homens. Jon oferece-se para o acompanhar e fica decidido que irá. Vale a pena continuar a dizer o que acho da mono-expressão deste Jon Snow? Adiante.

Em Qarth, Dany observa a evolução de um dos seus dragões, que obedece a uma ordem sua, e percebe que a carne com que alimenta os animais tem de ser cozinhada. Com a ajuda das suas aias, Dany prepara-se para comparecer a uma festa de Xaro; já na festa, Dany tem de tentar controlar os homens do seu khalasar para não se apropriarem de bens valiosos, e percebe que é difícil pois foi assim que foram criados. Pyat Pree, um dos Treze, aparece na festa, faz um truque de magia e convida Dany a comparecer na Casa dos Imortais. Mais tarde, Xaro aponta a Dany que Jorah tem sentimentos por ela, algo em que Dany não consegue acreditar. Xaro oferece a sua enorme riqueza a Dany, caso ela aceite casar com ele, que lhe possibilitará os meus necessários para rumar a Westeros e ocupar o lugar de Robert Baratheon, que está morto - facto que Dany desconhecia. Quando ela revela estas intenções a Jorah, este fica desagradado com a ideia e Dany finalmente percebe que a observação de Xaro foi acertada.


Depois de fugirem, Catelyn e Brienne para a meio do caminho em direção ao acampamento de Robb. As duas falam sobre as suas intenções após lá chegarem: Catelyn deseja rumar a Winterfell para rever os seus filhos mais novos e Brienne deseja partir e vingar-se de Stannis. Depois de Catelyn a tentar dissuadir de o fazer, Brienne acha boa ideia prestar o seu juramento a Catelyn e assim o faz. E a minha boa impressão em relação a Gwendoline Christie continua: a personagem passa-me a mesma sensação de inadaptação, fragilidade e coragem que a Brienne do livro. Mal posso esperar por algumas cenas que por aí se avizinham!

Em Winterfell, Bran está novamente a receber os seus subordinados e a ouvir os seus problemas, enquanto Rickon (finalmente uma aparição!) parte nozes furiosamente. Pouco depois, Rodrik Cassel chega com a notícia que uma localidade perto está a ser atacada. Bran dá a Rodrik os homens que ele precisa para ajudar. Mais tarde, Bran fala a Osha dos seus sonhos, nomeadamente do corvo de três olhos e de ter sonhado que Winterfell ia ficar inundada. Pela reação de Osha, percebemos que os sonhos que têm algo que se lhe diga, apesar de ela tentar desdramatizar.


Finalmente, em Harrenhal: Arya serve à mesa enquanto Tywin Lannister discute com os seus aliados o estado da guerra com Robb Stark, enquanto ela ouve atentamente. Ao servir Tywin, este pergunta-lhe de onde ela é e após a primeira resposta, Tywin percebe que ela está a mentir mas não deteta a segunda mentira. Depois, pergunta-lhe o que dizem de Robb Stark no norte, ao que Arya responde que se diz que ele monta um lobo, que se pode transformar num e não pode ser morto. Quando Tywin lhe pergunta se ela acredita, Arya diz que não, que qualquer um pode morrer. Arya sai para buscar água e encontra Jaqen, vestido com as armaduras Lannister. Este informa-a que tem uma dívida para lhe pagar, pois salvou-o e aos dois colegas de morrerem; assim, Arya deve nomear 3 pessoas que quer que morram e Jaqen tratará do assunto. O primeiro escolhido de Arya é Tickler, o torturador. O episódio termina quando Tickler aparece morto em Harrenhal e Arya percebe que a promessa foi cumprida. Tenho gostado bastante destas cenas em Harrenhal: Maisie Williams continua fantástica, muito expressiva; Charles Dance como Tywin também está soberbo, a passar aquela imagem de arrogância, altivez e inteligência que a personagem exige; Tom Wlaschiha faz um Jaqen muito interessante (e porque não dizer agradável à vista feminina :D), com aquele sotaque e maneira estranha de falar, juntamente com o mistério que rodeia a sua personagem. Estou curiosa para ver a evolução desta parte da história.

7,5/10

Categories: ,

11 Responses so far.

  1. André Pix says:

    Concordo que a primeira cena poderia ter mais impacto, assim como seria melhor para fim do episódio anterior, por exemplo. A reacção a menos de Loras e a mais de Brienne muda alguns aspectos dos personagens (a meu ver) pelo menos em referências futuras. Tirando isso foi um bom enquadramento da cena.
    Natalie Dormer parece-me demasiado artificial, Mindinho (Littlefinger) embora goste do seu papel de diabo mafarrico que tenta seduzir este e aquele, continuo a achar que caiu ali muito de pára-quedas e já mete demasiado o “dedinho”.
    O Theon da série transparece bem, já Yara prefiro não voltar a falar...
    Imagens no Punho dos Primeiros Homens são incríveis (fiquei com a impressão, no livro, que as árvores seriam mais próximas da base do punho, mas com aquela paisagem é impossível não me render). Achei a cena do Snow o “Deadpan” com Qhorin colada, não é só “entusiasmo” de Snow, mas os próprios diálogos pareceram-me curtos, frios e colados.
    Winterfell… onde raio estão o irmãos Reed??? Isto de trocarem personagens de uma série para a outra não me está a convencer, os Reed têm um papel importante e não percebo como é que os realizadores se vão resolver lá para o final da série.
    Harrenhal, soberbo espectacular, para mim as melhores cenas deste espisódio.
    Para não me repetir destaco neste episódio as personagens de Arya, Brienne, Tywin e Jaqen.

    Tudo o resto penso que foi já dito (e bem),

    Até ao próximo episódio.

  2. Célia says:

    André, eu temo que os Reed vão ser ignorados na série, ou pelo menos é isso que tenho deduzido da conversa dos produtores. Assim como os Tully. Mas tanto uns como outros têm intervenções importantes para a história e por isso ou aparecem mais tarde ou colocam outras personagens a fazer o que eles deveriam fazer...

  3. LMS says:

    Se houve coisa que me deixou desagradada foi a maneira como adaptaram a morte do Renly. Eu percebo que tenham que simplicar tudo para quem não lê os livros, mas achei tão cliché e piroso. Uma sombra que o apunhalada no coração, really???? A maneira como estava descrito no livro deu-me arrepios, já isto só me fez abanar a cabeça... Além disso, o facto do Renly estar a despir a armadura em vez de a vestir para a batalha (como no livro) retirou à cena um dos seus pontos mais fortes: o facto de que nem o "direito divino" nem armaduras, nem quase nada estará acima do poder do Senhor da Luz.
    A reacção do Loras também não me convenceu. A personagem é muito ao estilo "live fast die young", portanto nunca teria uma reacção tão sóbria e racional à mort do amante.

    Quanto aos Reed, espero bem que os incluam na série mais adiante, visto o papel importante que tem na história do Bran. Quem diz os Reed, diz o Ramsay Snow e os Tullys, porque sem eles quero ver como raio vão adaptar certos e determinados momentos cruciais da série...

  4. Célia says:

    LMS, eu já não me lembrava desse detalhe da armadura, mas concordo plenamente contigo.

  5. Sixx says:

    Olá
    Tenho acompanhado os teus comentários aos episódios e tenho de te dar os meus parabéns pois consegues resumir o episódio sem que ele contenha muitos spoilers.

    Adoro os livros, mas estou um pouco desiludido com o rumo da serie. A primeira temporada decorreu muito bem sem invenções por parte dos roteiristas e penso que agora estão a querer algum protagonismo, ao alterarem o seguimento da história.
    Existem cenas na serie que depois não dão em nada, como por exemplo a tortura do Joffrey às prostitutas para mostrar ao tio quem é que manda, mas no episódio seguinte nem sequer é mencionado, então para quê esta cena? pela nudez gratuita?
    Nem tudo é mau nesta 2ª temporada gosto de algumas personagens novas, já outras estão muito forçadas e não correspondem às personagens dos livros.
    Neste episódio, continua uma monotonia na história, penso que está sem dinamica a fazer horas para a ação que se vai desenrolar mais para o final da temporada, é pena pois os roteiristas tinham muito por onde arranjar ação, bastava dar mais enfase ao Jon Snow e às aventuras da Arya até chegar a Harrenhall.
    Para terminar, tenho falado com alguns amigos que não leram o livro mas acompanham a serie e para a maioria a história está muito confusa, não percebem muito bem de onde vieram certos personagens novos.

    Abraço
    Sixx

  6. Célia says:

    Olá Sixx,
    Em primeiro lugar, obrigada pelo teu comentário :)

    Confesso que para já também estou um bocadito desiludida com a segunda temporada. Penso que a dinâmica da história está com alguns problemas devido a muitas coisas, incluindo a necessidade de introduzir tantas novas personagens, algum desequilíbrio entre as narrativas e a perda de tempo com cenas que não acrescentam muito à série.

    Quanto às pessoas que não leram os livros, do feedback que tenho tido as opiniões são precisamente as mesmas :S

  7. André Pix says:

    Célia, eu vi algures (não coloco links pois não sei a politica do blog) que os produtores decidiram realmente ignorar algumas personagens e trocar outras nas séries, podendo estas aparecer mais tarde. Tenho esperança que os Reed ainda apreçam na próxima ou no fim desta, mas se a realidade for como tu dizes, bem então é mesmo uma desilusão. :/
    Falo dos Reed mas sem querer negligenciar a importância dos Tully.
    Mesmo neste último episódio existiu um soberbo “Ignore” aos Tully, pois Catelyn não faz intenções de se dirigir a Correrio, em vez disso diz a Brienne para irem para o acampamento do filho, procurando aí segurança … isto claro que é ridículo por vários motivos, Robb por esta altura estará em incursões de guerra com pequenas batalhas aqui e ali, significa que as suas tropas nunca estão paradas num local (o que vem a demonstrar-se uma óptima técnica desestabilizadora para o inimigo, pois nunca sabem ao certo onde é que este se encontra), logo não é muito sensato tentar seguir o filho pelos campos de batalha, e ainda menos tentar saber o seu paradeiro, por exemplo através de corvos (isto porque iria expor a sua localização a inimigos, se por ventura um corvo for abatido).
    Falar dos Reed foi pela conversa que Bran teve com Osha, a respeito dos sonhos verdes, algo que deveria estar a aprender\explorar por esta altura com os irmãos Reed.
    No entanto esse papel foi atribuído a Osha e o diálogo foi consideravelmente pobre, de tal forma que algumas pessoas com quem falei, que não leram os livros, deixaram passar essa informação.
    Com esta ausência surgiram logo as seguintes questões:

    SPOILER SUGESTIVO, para quem não leu até ao fim da segunda parte do “Clash of the Kings”\”Despertar da Magia”.
    Quem leu sabe que a determinada altura (para o fim desta série) que os Reed vão escolher acompanhar alguém num “passeio”… Estando Osha a assumir o lugar dos Reed, quem assume o de Osha? Inventam uma nova personagem? (para se darem a esse trabalho tinham colocado os Reed de início), ou vão buscar a coitadinha da Ros a Porto Real de volta para Winterfell para assumir um papel e ter mais tempo de antena? (lol)

    Vi numa entrevista que os produtores gostaram tanto da representação de Richard Madden que ficaram “agarrados” ao personagem Robb e quiseram dar-lhe mais tempo de antena nesta série, (omitindo assim factos importantes noutras personagens).
    Mas tendo em conta que Robb quase não aparece neste livro, poderiam coloca-lo em “flash’s” do que estaria a fazer.
    Por exemplo: quando Lorde Tywin pergunta a Arya o que dizem sobre Robb, conforme ela descreve, Robb apareceria no momento dessa descrição\metáfora, ou seja, “Dizem que monta um Lobo Gigante” – aparecia uma imagem de Robb montado a Cavalo com o Vento Cinzento logo a seu lado, num plano de camara que quase parece que Robb não está em cima de um cavalo mas do lobo.
    “Ataca com uma matilha de lobos” – Robb a partir para a frente de uma batalha com os seus guerreiros logo atrás todos gritando\uivando. (e não precisavam de mostrar a batalha).
    “Que não pode morrer” – Os estandartes e hinos gloriosos de mais uma vitória conseguida.
    Poderia dar mais exemplos e ao longo do livro, são várias as vezes que falam das vitórias e feitos de Robb.
    Assim não esqueciam esse personagem (embora estivesse ausente), e deixavam de lado as cenas de “Robb o enfermeiro”.
    Assim quando Robb surgisse na próxima série causaria o mesmo “efeito surpresa” a quem não leu, como aos que leram o “Tormenta das Espadas”.

    A confusão de quem não leu é algum comum também no meu núcleo de amigos (a maioria não leu), mas o pior é que alguns começam a ter a impressão que algumas cenas estão num “corta&cose” com muita informação subentendida e pouco sentido (volto a referir por exemplo a cena de conversa de Snow e Qhorin.

    Fazem falta mais alguns episódios nesta série, parece que tudo ruma apenas ao “Água Negra”.

  8. Outro tema menor mas que me chateou foram os navios em Pyke. Ora que raio... transformaram longships que têm com certeza dezenas de remos e vela em naus? Eu sempre imaginei os longships das Iron Islands à imagem dos drakkar dos vikings. Aliás muita da cultura parece-me beber de inspiração viking dentro de certos limites. Não percebom como é que se quer dar a uma nau o aspecto de um navio rápido, manobrável e feito para batalha naval.

  9. Anónimo says:

    Sobre o "barco pirata" do Theon....li num blog um comentário que me fez partir a rir e que dizia que o novo lema da casa Greyjoy passou a ser: "Nós não remamos!" ou em inglês "We do not row!".....partiu-me a rir!!!! Só por isso até desculpei a inclusão deste barco que nem saido dos piratas das caraibas parecia....aquilo parecia mais a nau do cristovao colombo. Os tipos devem andar mesmo muito mal de orçamento!!!!! Aliás, ao longo da série nota-se imenso a falta de dinheiro. Há coisas que eles fazem bem mas claramente faltam sempre pessoas, faltam cavalos, falta muita coisa! E é pena porque nesta segunda época cada vez mais me vai passando a ideia de uma espécie de série de segunda qualidade, em vez do estoiro que foi a primeira temporada.
    Os meus amigos queixam-se do mesmo. Tinha 2 colegas sobretudo que ficaram viciados na primeira temporada e não conseguem ver esta, já largaram. Isto preocupa-me. Vamos lá ver......
    Quanto ao episódio já muita coisa foi dita.
    Gosto de Harrenhall e pouco mais. O resto são mais oportunidades perdidas que outra coisa. Falta qualquer coisa.....

    Rui

  10. Anónimo says:

    Célia, aguardo o teu comentário ao episódio 2x06, pois gosto muito de os ler...ainda hoje vim cá ver se já o tinha feito... :D

  11. Célia says:

    Estou a escrevê-lo neste preciso momento e conto publicar daqui a pouco ;)

Leave a Reply

Partilhar