Episódio 2x04 - Garden of Bones


Este quarto episódio tem início num acampamento das forças Lannister, com dois soldados a discutirem a valia de alguns dos guerreiros mais famosos, quando se apercebem que estão a ser atacados pelas tropas de Robb Stark. Nada se vê da batalha (mais uma vez), apenas as consequências no campo, na manhã seguinte. Nessa altura, Robb discute com um dos seus apoiantes, Roose Bolton, as consequências práticas da vitória e o que deverá ser feito com os prisioneiros. Entretanto, encontram uma curandeira no terreno, de seu nome Talisa, com um soldado Lannister em grande sofrimento. Robb oferece-se para ajudar e depois conversa com a curandeira sobre o derramamento de sangue, as culpas de ambos os lados e as suas ambições. 

Ora, esta personagem da Oona Chaplin é aquela que todos os que leram os livros pensaram ser a Jeyne. Quando ela refere o seu nome, ainda cheguei a pensar que fosse um nome inventado, mas a verdade é que ela mais tarde refere ser proveniente de Volantis, um das Cidades Livres do outro lado do mar, e a verdade é que a sua compleição mais morena se adequa a essa informação, bem como as reticências que sempre houve da própria atriz e produtores em falar muito sobre a personagem. Portanto, partilho da opinião da malta do Westeros, segundo a qual esta é uma nova personagem, que toma o lugar de Jeyne, e que, tendo uma origem e história diferentes, não deverão alterar muito o rumo dos principais acontecimentos. Contudo, esta teoria ainda terá de ser confirmada nos próximos episódios. Quanto ao encontro entre ela e Robb Stark e a conversa entre ambos, achei sinceramente demasiado óbvio que vai haver algo entre os dois, para além de que me pareceu um pouco irreal Robb partilhar as suas ideias políticas com uma mera curandeira que acabou de conhecer. 

Em King's Landing, Joffrey continua a demonstrar o seu feitio terrível ao querer castigar Sansa pelas vitórias do seu irmão no terreno. Apenas a desaprovação da mãe evita que Joffrey cometa mais atrocidades contra Sansa, o que contudo não o impede de ordenar que ela seja espancada e despida. As coisas só não pioram devido à intervenção de Tyrion, que tem uma grande entrada em cena (para não variar) e acaba por conseguir livrá-la das garras de Joffrey. Tyrion discute com Bronn se o temperamento de Joffrey não poderá abrandar com mulheres e Tyrion decide chamar duas prostitutas para satisfazer o sobrinho. Uma delas é Ros (tinha de ser...), mas acabamos por perceber que Joffrey está mais interessado em demonstrar o seu lado sadista. Ok, eu percebo que esta cena - que não está nos livros - se destina a mostrar ainda mais o lado negro e maléfico de Joffrey, mas a minha pergunta é: isso não estava já suficientemente demonstrado? Confesso que esta constante necessidade de mostrar nudez na série começa a cansar-me, especialmente quando considero que é gratuita e não acrescenta muito à história, como aqui penso ser o caso.

Mais tarde, Lancel Lannister entrega uma mensagem a Tyrion, proveniente da Rainha Cersei, exigindo que Maester Pycelle seja libertado. Lancel, que começa por demonstrar uma atitude sobranceira perante Tyrion, escudado pelo poder da Rainha, acaba a pedir a Tyrion de joelhos que não revele a Joffrey que anda a dormir com Cersei. Esta cena é fantástica, demonstrando como Tyrion consegue de forma exímia transformar adversidades em trunfos. Notável como consegue acabar a ganhar um espião para si próprio.

Arya e companhia chegam a Harrenhal, o maior castelo de Westeros que, contudo, nos últimos tempos apresenta sinais de grande decadência, e é, atualmente, base das tropas Lannister. Os prisioneiros são colocados num local sem proteção da chuva e todos os dias um deles é levado para ser torturado. Arya repete, de noite, os nomes daqueles de quem deseja vingar-se um dia. Mais tarde, Ser Gregor Clegane, A Montanha (nesta temporada desempenhado por um ator diferente), chega e é ele a escolher o prisioneiro a ser torturado por Tickler, com a utilização de uma ratazana esfomeada dentro de um balde atado à cintura do prisioneiro. Um dia, Gendry é escolhido, mas salvo da tortura pela chegada de Tywin Lannister a Harrenhal, que pergunta a Gendry qual é o seu ofício, desagradado pelo desperdício de homens capazes. Percebe também que Arya é uma rapariga, e decide que será copeira. Gostei dos segmentos de Harrenhal. Achei que os cenários transmitem bem a sensação de um local inóspito e desagradável e penso que as torturas ajudaram a criar esse clima.


No acampamento de Renly, este recebe Littlefinger com muita desconfiança, apesar de este dar a entender que a sua chegada a King's Landing pode encontrar facilidades se quiser ser seu aliado. Mais tarde, em conversa com Margaery, Littlefinger dá entender que conhece o estado da sua relação com Renly. Depois, Littlefinger visita Catelyn, que o recebe com sete pedras numa mão, como se costuma dizer. Catelyn não esqueceu a traição de Littlefinger, que tenta explicar-lhe que tentou salvar Ned mas não teve alternativa. Littlefinger refere os seus sentimentos por Catelyn, mas perante a reacção irada desta opta por referir as suas filhas e dizer que poderão ser trocadas por Jaime Lannister. Cat acha que Robb nunca concordará, mas Littlefinger refere que a proposta é para ela e não para Robb, e que para demonstrar a boa fé lhe trouxe uma oferta de Tyrion, os restos mortais de Ned. Esta cena deixou-me um bocado dividida: se, por um lado, adorei a prestação de Michelle Fairley, com a sua gama variada de emoções, fico cada vez mais de pé atrás com a constante insistência no ênfase dos sentimentos de Littlefinger por Cat, para justificar as ações desta personagem. Penso que isto é feito na tentativa de humanizar um pouco a personagem, mas Littlefinger é movido por outros interesses e esta questão fá-lo parecer uma personagem mais frágil do que desejaria.

Renly e Stannis encontram-se em campo neutro para discutirem as suas ambições. Perante acusações de parte a parte, Catelyn tenta acalmar os ânimos, mas Stannis admira-se de ela estar ao lado de Renly quando Ned o considerava o herdeiro legítimo do trono. Stannis dá a Renly um dia para abdicar das suas pretensões, ameaçando-o caso isso não aconteça. Mais tarde, dentro de um navio, Stannis conversa com Davos sobre as origens humildes deste último e pede-lhe para recordar as suas habilidades como contrabandista para levar Melisandre à costa, que ele aceita fazer. Davos e a sacerdotisa chegam à praia, entram numa gruta e quando Melisandre despe os seus mantos (exemplo de uma cena de nudez que não achei gratuita) Davos percebe que ela está num avançado estado de gravidez. Melisandre deita-se no chão e "dá à luz" uma forma feita de sombras, com um aspeto terrível, que toma a forma de um homem e se dirige à porta de grades na caverna. E assim termina o episódio, com uma cena arrepiante e que achei muito bem feita a nível de efeitos especiais e do fator "wow". Contudo, gostava que tivesse sido dado um pouco mais de contexto no que respeita ao destino e localização das personagens.


Este episódio também recuperámos os destinos de Dany. Ainda no meio do deserto, um dos homens que Dany enviou para procurar cidades ou pessoas regressa vindo de Qarth, que diz estar a 3 dias de viagem e cujos Treze estão dispostos a receber a Mãe dos Dragões. Jorah refere que a área em volta de Qarth é conhecida como o "Jardim dos Ossos", uma vez que sempre que as portas da cidade se fecham aos visitantes, esse jardim cresce. Quando chegam a Qarth, Dany não tem a receção esperada. O porta-voz dos Treze pede para ver os dragões de Dany, e perante a recusa desta, o porta-voz volta-lhe as costas. Dany mostra a sua revolta por lhe ser vedada a entrada na cidade, ameaçando-os com os dragões assim que estes crescerem. O pedido de Dany é salvo pela intervenção de Xaro Xhoan Daxos, que recorre a uma lei do seu povo e garante cuidar de Dany e dos seus. As portas da cidade abrem-se e encontramos um local a fazer lembrar as grandes cidades da antiguidade. Fico curiosa por ver mais do ambiente de Qarth.

Gostei deste episódio, mas fiquei com a sensação que, à semelhança do segundo, foi um pouco desconexo. Tenho-me questionado sobre a dificuldade que quem não leu o livro está a ter para seguir a história e, por algumas reações que tenho visto de não-leitores, a ideia que tenho é que há algumas coisas na série que parecem um pouco random e que não estão a ser bem explicadas. A vasta profusão de história e de personagens também não ajuda muito, e apesar de achar que as interpretações têm vindo a ser excelentes, questiono-me um pouco sobre o rumo de algumas linhas de enredo. Só passado um tempo de ter visto o episódio me apercebi que não tivemos cenas para lá da Muralha - o que atesta bem da minha opinião sobre esta parte do enredo em particular. Aguardemos por cenas dos próximos capítulos.

7/10


Imagens retiradas de Wicnet

Categories: ,

7 Responses so far.

  1. Anónimo says:

    "Quanto ao encontro entre ela e Robb Stark e a conversa entre ambos, achei sinceramente demasiado óbvio que vai haver algo entre os dois, para além de que me pareceu um pouco irreal Robb partilhar as suas ideias políticas com uma mera curandeira que acabou de conhecer".
    Concordo plenamente! Quando acabei de ver o episódio, essa cena não me saía da cabeça por ter sido tão ao lado do que era esperado. Não só alteraram como ainda não o fizeram de forma convicente. É pena.

  2. Anónimo says:

    Vocês por acaso leram os livros??? se leram sabem o proposito da cena do parto e da cena do robb com a outra rapariga

  3. C! says:

    Mais uma vez grande actuação dos actores da serie, gosto muito de Tyrion que apesar do seu aspecto frágil consegue através da razão dar sempre a volta por cima dominando completamente os seus oponentes, é ele que mais uma vez pára a malvadez de Joffrey. A cena final deixou completamente estupefacto e a desejar mais episódios. Tenho de começar a ler os livros porque se a serie é assim então com os livros bem detalhas e repletos de imaginação de ser BRUTAL.

    Ps.: Um muito obrigado Célia

  4. Anónimo says:

    Concordo em absoluto com o comentário. Acho que, neste episódio, abusaram dos aspetos "negros" presentes no livro, elevando-os a primeiro plano, desvirtuando assim o contexto global da obra.

  5. Anónimo says:

    Gostei do episódio mas não posso deixar de notar que algumas das alterações me fazem levar a mão à cara em sinal de "que???"
    E já outros falaram disso...a Talisa é totalmente ao lado da personagem que esperava ver, e não é muito consistente com a época em que se encontra. Eu juro que estava à espera que o Robb lhe fosse responder com um "Tu não sabes NADA Talisa de Volantis!"...ao menos teria sido uma resposta curiosa e que me teria divertido :) Outra resposta curiosa teria sido, quando ela disse que o pé do rapaz não iria crescer novamente, o Robb responder com "Nem a cabeça do meu pai já agora! E não vamos falar no meu irmão paraplégico ou nas criancinhas violadas pelo grupo dos amigos da montanha. Tu não sabes NADA!"
    Mas adiante!
    Não me incomodam tanto as cenas de nu gratuitas talvez porque me considero muito liberal nessas coisas. Sinceramente, não me impressiona mas também não me cativa. Mas até apanhei uma certa intriga na forma com o Joffrey queria declarar guerra ao tio fazendo questão de maltratar as prostitutas que ele escolheu e de lhe entregar o resultado (Ui!!!). Acho que temos guerra aberta entre sobrinho e tio. É um bocado mais drástico do que nos livros por isso aguardo se irá dar em alguma consequência interessante ou se foi só mesmo para impressionar.
    As cenas com o Litlefinger....enfim....esta temporada é a temporada de destruir o personagem e tem sido assim desde o primeiro episódio. Já desisti de tentar compreender. Aguardo cenas dos próximos capítulos para ver que outras coisas idiotas ele fará estilo....declarar amor pela viuva de um homem enquanto lhe mete aos pés um caixão com os ossos do dito homem.....yap! Esta ganha o prémio de declaração de amor mais original de sempre! Aplausos!
    As cenas da Arya estão excelentes!!! Adorei mesmo. Infelizmente nem aqui escapam algums problemas como....a nova montanha que faz lembrar "Quem tem medo do lobo mau!"...e o facto de alguém se ter esquecido de adaptar os diálogos do torturador de acordo com aquilo que foi cortado da série: Que raio de aldeia era mesmo aquela que eles procuram? E que ouro era aquele? Pois, eu sei! Mas meio mundo não sabe e suspeito que nunca vão saber. Talvez tivesse sido inteligente colocar mais perguntas sobre a irmandade e escrever essas perguntas de forma a explicar quem é a irmandade....teria sido mais inteligente.
    Por fim, excelente final! Muito bem a cena com Stannis e Renly. Vá lá, aqui não há muito a apontar. Falta talvez um bocado de enquadramento para entender onde eles estão e que diabo estão ali a fazer....sim, isso falta. Mas como eu sei, para mim foi uma excelente experiencia.
    Ahhhh....a Daenerys....bom....citando um filme clássico "Tudo calmo na frente ocidental". Nada de relevante e não primou por ser uma grande cena, mas a cidade deixou alguma curiosidade na boca, gostei de ver sim senhor!!!

    Rui

  6. LMS says:

    Ao anónimo das 12:20h - claro que sabemos - quem leu os livros, claro está (incluindo a autora deste blog) - o propósito da rapariga. O que não quer dizer que a cena não poderia ter sido feita doutra maneira.

    Pessoalmente, acho que este foi o melhor episódio da 2a temporada até ao momento. Fez-me chorar,fez-me ter que virar a cara (coisa que é raro acontecer) em certos momentos, e teve cenas muito bem conseguidas - por exemplo, a última entre Davos e Melisandre ou as passadas em Harrenhal. De facto reparei na falta de contextualização no encontro entre Stannis e Renly, para mim que já li os livros não me faz grande mossa, mas percebo que para quem só vê a série terá sido estranho, num momento o Stannis está em Dragonstone e no outro já está no acampamento do irmão. Dá a entender que vive praticamente na porta ao lado :/

  7. André Pix says:

    Mais uma vez parabéns por mais uma óptima review do episódio.

    Começando com a conversa de Robb e Jeyne, foi algo irreal e absurdo, dando a Robb um bom barrete de ingenuidade, seria genial a ideia descrita acima pelo Rui (ahahah)…
    Não mostraram também esta batalha, mas desta vez não me aborreci tendo em conta que esta é referida só depois de já ter acontecido e por terceiros, portanto até poderiam dar só a ideia de como começou (com o Lobo Gigante) e ficavam-se por aí, como no início do episódio. Mas tiveram que trocar a Jeyne pela Talisa (ou pelo menos é o que parece) para criarem aquele ambiente (muito bom para um primeiro encontro imaginando os sons e cheiros)… e assim tempos “Robb o misericordioso”… “Robb o do Povo”… Não perdiam muito terem avançado isto e faziam como no livro e na próxima temporada apareceria Robb com a Jeyne\Talisa e a sua corte e “Tchanaaan”, cirando assim mais impacto, pondo as pessoas a pensarem, tal como no livro. (possivelmente no inicio perdidas, mas logo a compreenderem as implicações que isso tem).

    Torturas em Harrenhal, (tortura conhecida por ser usada pela Inquisição medieval), foi arrepiante e acho que marcou bem o terror sentido pelos prisioneiros à sombra da negra Harrenhal. Alguns aspectos estavam um pouco mais soft que no livro, mas esta cena serviu de bom contrapeso para esses aspectos.

    A cena de Joffrey foi pesada, bastante pesada, no entanto acho que (concordando mais uma vez com o tempo perdido em nudez gratuita) o Joffrey do livro é mais menino mimado e pateta que gosta de brincadeiras cruéis, imagino-o a ser cruel, mas mais depressa a ordenar a execução ou tortura das prostitutas, que ter capacidade de raciocínio e perversão para fazer aquilo. Além disso, aquilo que depreendo do livro é que a guerra Joffrey\Tyrion não é assim tão aberta, sendo que Cersei será quem mais faz a guerra enquanto Joffrey se diverte com brincadeiras cruéis e se esconde debaixo das saias da mãe.

    Reforçar o triangulo Renly\Loras\Margaery??? (ok já sabemos quais as tendências de Renly), tempo perdido para quê? Logo no início do episódio vemos os comentários e piadas dos dois guardas Lannister que referem a tendência de Renly, um pouco mais tarde novamente a mesma história com o Mindinho, por esta altura já pensava “só pode ser para quem ainda não tem bem a certeza”...

    Catelyn tem os ossos no acampamento de Renly, (recebe-os de uma forma que nem vale comentar)
    SPOILER - ( tendo em conta o que acontece (possivelmente no próximo episódio) como é que ela leva os ossos de Ned Stark com ela?)

    Cidade de Qarth realmente faz lembrar uma cidade da antiguidade eu diria uma Alexandria ou algo assim. 

    SPOILER - No livro Davos assiste ao “parto” (esta cena está excelente) de Melisandre nas grutas que suponho serem por baixo de ponta de tempestade (como é referido no livro), sendo já a segunda missão para a sombra (digo assim para não colocar demasiados spoilers), irá no próximo episódio a sombra cumprir ambas missões numa só noite?

    Penso que voltaram a perder-se e se pensarmos bem o próximo episódio é já o final da primeira parte da série, certamente que não vão perder tempo a tapar buracos, ficamos então assim com uma série de pontas soltas e questões. Conheço também quem veja a série sem ler o livro e já me colocaram várias questões, coisa que raramente aconteceu na temporada anterior.
    Como sempre achei e penso ser do agrado de muita gente, a série deveria ser ou dividida, ou (possivelmente a melhor opção) ter mais episódios por temporada.
    Bem com esta mistura toda fiquei bastante curioso pelo próximo episódio.

Leave a Reply

Partilhar