Entrevista a Daniel Portman

Daniel Portman, que ficou com o papel de Podrick Payne (o escudeiro de Tyrion Lannister), deu uma entrevista ao Access Hollywood, no qual fala da sua personagem, na experiência de trabalhar com Peter Dinklage e da sua relação com os fãs, entre outras coisas. Aqui fica a tradução da entrevista.



AccessHollywood.com: Quem é o jovem Podrick que encontramos na segunda temporada? Qual é a sua história?
Daniel Portman: O Pod é oriundo de um ramo muito, muito humilde da Casa Payne. É um primo distante do  carrasco Ser Ilyn Payne, e anda de um lado para o outro há um tempo... um escudeiro de cavaleiro em cavaleiro e, penso, nos livros é quase visto com uma partida que arranjem ao Tyrion este escudeiro aparentemente inútil.

Access: Como é que te encaixas no enredo no início da temporada? Segues o Tyrion à medida que estão para acontecer coisas mais importantes?
Daniel: Sim, para ser sincero ele é apresentado como se, bem, estivesse apenas ali e não fosse de notar que ali esteja, sou apenas mais um escudeiro... mais um elemento de ajuda ou serventia que acaba, no final da temporada, a ser o escudeiro pessoal de Tyrion. Acho que é só isso que posso revelar. 

Access: Mas coisas mais importantes aguardam Pod à medida que os acontecimentos aquecem, certo?
Daniel: Sim. O Pod não é exatamente o que parece. Sim, ele vai ter um papel importante perto do final da série.

Access: Falemos sobre teres conhecido o Peter Dinklage no ano passado - conheceste-o antes ou depois de ganhar o Emmy?
Daniel: Conheci-o brevemente para filmar uma cena na qual não tinha muito que fazer - antes - e não tivemos grande hipótese de conversar. Foi muito agitado. Foi uma cena longa, por isso as pessoas queriam despachá-la... Estive na Irlanda cerca de um mês para as segundas gravações... A maior parte das minhas cenas, se não todas, são com o Peter e acabámos por começar a falar e demo-nos muito bem. No final, ficámos grandes, grandes amigos. Ríamos muito durante as gravações juntos e acho que isso será visível no ecrã. Enquanto a série avançava, ficámos, acho, mais confortáveis um com o outro e há algum realismo na nossa relação à medida que se desenvolve porque acabámos por nos tornar amigos com o passar do tempo... Estava aterrorizado por ir conhecê-lo. Estava completamente chocado porque acho que ele é um ator fantástico e tenho um grande respeito por ele. É tão terra-a-terra e tão engraçado e tão relaxado. 

Access: Tinhas visto a sua participação no "30 Rock"?
Daniel: Não tinha visto isso. Tinha-o visto no [filme de 2003, aclamado pela crítica] "The Station Agent", há anos atrás e fiquei enfeitiçado. Achei que era excelente e quando soube que ia tentar uma série na qual ele estava envolvido, fiquei muito, muito entusiasmado. E o facto de trabalharmos juntos foi incrível porque se aprende muito. Como jovem ator, aprendi muito a observá-lo. 

Access: Tiveste de fazer algum treino para o papel de Podrick?
Daniel: Não... Li sobre a personagem e... temos uma personalidade muito diferente. Ele é muito nervoso e muito tímido e bastante fraco, e não tem confiança em si próprio, seja de que forma for. E eu sou o completo oposto... Decidi - para o fazer parecer um pouco melhor - parar de treinar e perder alguma massa muscular e tentar ganhar algum peso, para ter um aspeto um pouco mais querido. 

Access: Magricela?
Daniel: Magricela não… [Quis fazê-lo] para que ele parecesse um pouco deslocado quando tem as suas roupas vestidas e as pessoas olham para ele de uma forma estranha. Foi por isso que o fiz. Não pareceria terrivelmente autêntico se este rapaz tímido e com uns nervos incapacitantes surgisse com grandes músculos a aparecer debaixo da roupa. Pensei que seria provavelmente melhor se parasse com a dieta durante uns tempos e deixasse andar para parecer... mais convincente. 

Access: Nos livros, o Pod tem cerca de 12 anos. A personagem da Emilia Clarke, a Daenerys, tem 14 ou 15, mas envelheceram toda a gente na série. Já percebeste quantos anos tem a tua personagem? 
Daniel: Estou a encarar isto como se o Pod tivesse 16 anos... Há miúdos dessa idade que cresceram muito mais do que ele e ele foi como que deixado para trás... A forma como enfrentei isto foi manter a fraqueza e a estranheza dominantes, e que ele estivesse entre um adolescente e um jovem crescido - essa fase estranha pela qual muitos rapazes passam e na qual não se sentem confortáveis. São muito desastrados e acham, a toda a hora, que têm um aspeto horrível.  

Access: Tentaste outros papéis na série antes de conseguires este. Olhando para trás, foi melhor assim - fazeres cenas, na sua maioria, só com uma pessoa? 
Daniel: Para mim, foi definitivamente melhor assim, porque... comecei há pouco tempo. Não tenho muita experiência. O Pod não é uma personagem grande em termos de falas. Ele não diz muito por causa dos nervos, mas ter a oportunidade de jogar com as minhas expressões... tens razão, normalmente são coisas de pequena escala, só costumo trabalhar com o Peter ou com o Peter e o Jerome [Flynn, que desempenha o papel de Bronn]. Foi melhor assim.

Access: Já leste os livros de George R. R. Martin? 
Daniel: Tinha visto a primeira temporada e depois li os dois primeiros livros antes de me envolver na série porque pensei que era bom e queria ler um pouco. Agora que estou envolvido, li até ao terceiro livro e não vou avançar mais que isto. Não me quero adiantar e tomar decisões [de representação] e coisas do género. 

Access: Os fãs de Game of Thrones são uma comunidade dedicada. Assim que descobriram que estavas no elenco, a tua vida mudou?
Daniel: Sim, mudou. É estranho. Sou tema de conversa entre os meus amigos. Os meus amigos falam com pessoas que leram os livros ou trazem o tema à baila em público - algo assim... porque é uma das séries mais faladas do mundo. Toda a gente está doida pela série. Ficam loucos só de pensar e tem sido bastante surreal... Mesmo os sites de fãs, como o Winter is Coming e o Westeros, e outros, estão sempre a par do elenco, e colocaram logo uma foto quando fui selecionado e fui reconhecido algumas vezes quando estive em Glasgow por grandes fãs dos livros. As pessoas vinham ter comigo e perguntavam-me se eu era o rapaz que ia fazer de Podrick Payne, por isso tem sido fantástico. Muito surreal, muito surreal.

One Response so far.

  1. Lewis says:

    Realmente é verdade! A série em relação aos livros, os personagens estão mais velhos. Não sei se é mais convincente assim, do que estar a imaginar nos livros a personagem "funcionarem" sendo elas mais novas...(será que me expliquei bem?)

Leave a Reply

Partilhar