Episódio 1x03 - Lord Snow (Série vs. Livro e opinião)

Série vs. Livro
Este episódio cobre os acontecimentos presentes nos capítulos 19-25. A cena da chegada de Ned e companhia a King's Landing e a sua reunião com o conselho é fiel ao livro, mas também bastante condensada. No entanto, o essencial está lá. Antes da reunião, a cena entre Jaime e Ned é nova, e dá-me a ideia que o seu objectivo foi, basicamente, adicionar camadas de complexidade a Jaime Lannister e familiarizar o leitor com os seus conflitos internos.

Outra cena nova é a que apresenta Cersei a falar com o filho Joffrey. Está bem feita, e serve para mostrar um pouco mais das motivações da família Lannister e da imaturidade e mau feitio de Joffrey. A conversa de Ned e Arya, com uma ou outra pequena alteração, é tão emocionante como a do livro.
Nos livros, Catelyn viaja para King's Landing de barco, mas isso é completamente omitido na série. Existem também pequenas alterações nesta linha do enredo, como o facto de ter sido abordada logo à chegada à cidade ou de ter mostrado a faca a Littlefinger com o marido presente.

Do capítulo em que Bran ouve as histórias da Velha Ama, só vemos parte aqui na série. No livro, as histórias são interrompidas pelo Maester Luwin e por Hodor, e não por Robb, que desejam que Bran desça para receber Tyrion, que está ali de passagem para sul. Na série, ainda não tivemos oportunidade de ver Hodor carregar Bran e Tyrion ainda não abandonou a Muralha.

Na Muralha, mais uma vez as cenas decorrem fielmente ao livro. Aqui, não é Donal Noye, o ferreiro, a salvar Jon da ira dos outros recrutas, mas sim Tyrion Lannister. Presumo que não quiseram introduzir mais uma personagem, o que acho perfeitamente aceitável. A cena entre Jon e o tio também está excelente, mas a conversa com Tyrion, que adoro, pecou por estar demasiada condensada face ao excelente diálogo que temos no livro.

As cenas entre Jaime e Cersei e entre Robert, Barristan Selmy e Jaime são novas. Em relação à primeira, pretende mostrar o estado de espírito dos gémeos face à possibilidade de serem descobertos; a segunda é um excelente momento para o Rei Robert e dá-nos a conhecer um pouco mais sobre a história daqueles homens e um pequeno vislumbre do que significa pertencer à Guarda Real.

Neste episódio, temos então o resto do capítulo 24, dedicado a Dany, que tínhamos visto no segundo episódio. Mais uma vez, alguns detalhes são alterados, mas mantém-se o essencial da humilhação de Viserys.

A cena de Tyrion com Yoren, e depois com Benjen, é nova, mas bastante interessante para o espectador conhecer um pouco mais da Patrulha da Noite e do receio pelas ameaças para lá da Muralha. Também a cena em que Jorah fala com o guerreiro Dothraki é interessante para conhecermos os hábitos deste povo.

Finalmente, a cena da Arya com o Syrio Forel está soberba. Não interessa que o Syrio do livro fosse careca ou que Ned não tivesse estado presente.


Opinião Pessoal
Achei este episódio bastante ao nível do anterior. Não tem propriamente acontecimentos muito marcantes, ao contrário dos dois episódios anteriores, mas serve antes para desenvolver personagens e apresentar outras que se encontram em King's Landing. Dessas, o destaque inevitável vai para Littlefinger, uma das melhores personagens criadas por Martin, na minha opinião.

De uma forma global, a sensação que a série me transmite até agora, e que Lord Snow reforçou, é a preocupação de manter os acontecimentos o mais fiéis possível ao material de base, com algumas cenas introduzidas para completar o enredo. Por enquanto, posso dizer que estou satisfeita com estas novas cenas: a que preferi neste episódio foi a nova cena entre Ned e Jaime. Grande, grande nível de representação, com os dois actores exímios a dar corpo à essência das respectivas personagens. Mas, como leitora, este foi o episódio em que senti que as coisas passaram mais a correr.

Adorei todas as cenas em que Arya entra. Estou simplesmente abismada com a qualidade desta pequena actriz e com a capacidade que tem demonstrado em passar para o ecrã o espírito indomável desta personagem, de tal modo que por vezes quase nos esquecemos que é uma criança. A cena com o pai, Ned, está muito boa, já para não falar da cena final, em que conhece Syrio Forel.

Outro ponto alto, na minha opinião, é mais uma cena nova, a que inclui Robert, Barristan Selmy e Jaime. Se dúvidas houvesse da excelência deste Robert, esta cena acaba com as reticências. Mark Addy consegue, em pouco espaço de tempo, mostrar todas as cores e temperamentos da sua personagem. Muito bom.

Não posso deixar também de referir que, neste episódio, fiquei mais agradada com o desempenho de Kit Harington (Jon Snow). Vimo-lo mais expressivo, menos ingénuo pela chegada a um ambiente estranho e que lhe parece adverso. Julgo que começámos aqui a ver a força desta personagem. Ainda na Muralha, Peter Dinklage (Tyrion Lannister) está um pouco mais apagado do que no episódio anterior, mas não deixa de ter momentos geniais: "What's the strangest thing you've eaten? Tyrion: Do Dornish girls count?"

De resto, continuo a adorar todas as cenas em que Iain Glen (Jorah Mormont) entra, e o Viserys de Harry Lloyd é muito bom - pena ter tido pouco tempo de antena neste episódio.

Nota final para a despedida de Ned e Catelyn. Conseguem convencer o espectador que são um casal verdadeiramente apaixonado, e o tom melancólico da cena deixa adivinhar dificuldades futuras.

7,5/10

Categories: ,

8 Responses so far.

  1. André says:

    Acho que estás a ser bastante exigente com a nota atribuída. :p Pessoalmente acho que este foi o melhor episódio até agora, apesar de ter de perder o seu tempo a apresentar uma série de personagens novas. De negativo, para mim, apenas o diálogo entre Cersei e Jaime: não faz sentido que ela estivesse zangada com ele por ter atirado o Bran; quanto muito poderia estar preocupada por ele ter acordado.

    Mas nem me queixo muito desse momento, porque este episódio está carregado de grandes momentos. A cena nova entre Ned e Jaime é brutal e dá aos espectadores que não leram os livros uma outra perspectiva sobre o Jaime (assim como a conversa com Robert). Gostei muito da Old Nan, que pena a actriz ter morrido. :'( Adorei todas as cenas na Muralha, apesar de gostar mais da despedida de Tyrion no livro; aqui foi bastante curta e não foi tão perceptível a empatia entre os dois. Harry Loyd como Viserys está au point; adoro odiá-lo! :D

    E last but not the least, Arya é PERFEITA! Já era a minha personagem favorita nos livros; a Maisie Williams faz com que seja facílimo que ela seja também a minha preferida na série. A conversa com Ned é brilhante, e a cena final com Syrio é genial; eu não pestanejei enquanto durou, acho que nem respirei. Lindo lindo lindo! :D

  2. Célia says:

    Olá Andre, obrigada pelo teu comentário :)

    É verdade, estou a ser um bocadinho exigente nas notas, mas há um motivo: adivinho que os episódios que aí vêm serão ainda melhores e estou a guardar as notas mais altas para essa altura :P

    No que respeito à cena da Cersei, eu vi as culpas sobre Jaime mais como uma forma de mostrar o desespero da personagem: esse desespero chega a tal ponto que ela nem consegue discernir o que está a dizer. Às vezes acontece, quando a vida nos corre mal temos tendência a arranjar bodes expiatórios. No entanto, penso que não restam dúvidas quanto ao facto de, caso Bran tivesse falecido, Cersei ter ficado muito contente com o que Jaime fez.

  3. Achei que no episódio anterior as coisas passaram a correr, mas neste já não. Acho que aproveitaram bem o tempo e adorei que tivessem introduzido as cenas para melhor entendimento do Jamie (vide comentários ao post anterior :P ).

    Começa a pairar uma nuvem estranha sobre Ned e penso que foi mais que palpável na despedida a Catelyn.

    Achei no entanto um pena vermos tão pouco do Khalasar, mas de facto, também são escassos os capítulos em que acompanhamos Dany. Ainda assim estou a gostar de ver e de como ela começa a sair da esfera de Viserys, ainda que pense que no livro isso é muito mais perceptível que na série.

  4. Célia says:

    Essa nuvem negra também é palpável na cena final, em que Ned observa o treino da filha. Começam a surgir sons de espadas reais e de luta, e Ned tem uma expressão preocupada.

    Em relação ao khalasar, já demonstrei a minha desilusão por parecer tão pequeno e pouco imponente? Presumo que não puderam arranjar mais figurantes ou forma de tratar as imagens por computador.

  5. Eu só digo que os episódios parece que só têm 30 minutos :)

    Como estou a reler o livro mais ou menos em simultâneo, sinto de facto que na série acontece tudo muito depressa. Acho que faltam ali algumas referências á passagem do tempo, parece que acontece tudo no mesmo dia ou em dias seguidos.

    O texto é absolutamente soberbo! Há pedaços quase decalcados dos livros e outros completamente novos, mas tenho sempre a sensação que poderiam ter saído da "pena" de Martin.

    Sinto a falta dos lobos... Neste episódio não tivemos nem um vislumbre deles. Ao menos podiam ter mostrado o Summer na cama ao lado do Bran, ou o Ghost na Muralha com o Jon...

    Eu pensei e disse sempre que o Dinklage tinha aqui o papel de uma vida. O Tyrion é uma personagem extraordinária e Dinklage não desilude nem por um segundo. Vejo muitos prémios no futuro deste senhor :)

    Por último, perdoem-me, mas o meu lado de "fangirl" tem sempre de dar um ar da sua graça: Sean Bean. A voz. O sotaque. A maneira como diz "luv". O olhar. Os sorrisos: desdenhosos (Jaime), amorosos (Arya), contidos (Catelyn), orgulhosos (Arya outra vez).
    A forma como recusa ir mudar de roupa quando chega a King's Landing: com um olhar.
    A forma como percebemos o que está a pensar enquanto vê Arya com Syrio Forel. Com apenas a expressão do rosto, acompanhamos todo o seu pensamento.

  6. Concordo com a Célia em relação às notas atribuídas. De facto, isto só pode vir a melhorar ... e depois não há escala que resista :)
    Creio que, à excepção do primeiro (em minha opinião o melhor até agora), estamos ainda numa fase de apresentação do enredo, das personagens e dos respectivos feitios, virtudes e defeitos ... Continuo a achar que, para quem não leu os livros, não é uma série muito fácil ... são demasiadas personagens e demasiadas "historinhas" em paralelo ...

    E realmente, a Maisie Williams tem sido soberba! Para mim, tal como nos livros, Arya e Tyrion são os meus personagens favoritos. Ela pela destreza e ele pelo humor. Mais uma vez, o comentário sobre as "Dornish girls" foi um espelho do que é "esta criatura" :)

    Só uma pequena nota para o Mindinho: fartei-me de rir com os comentários que fez sobre os Stark depois de ter sido "esganado" pelo Ned :)

  7. Célia says:

    Brown-Eyed Girl,
    De facto os episódios passam num instante!
    Acho que é inevitável que achemos que faltam coisas, mas é importante não esquecer que nos livros muito tempo se passa com os pensamentos das personagens, e isso é difícil de transpôr para o ecrã. No entanto, estou de acordo contigo quanto às referências da passagem do tempo, não me parece que estejam a ser muito bem conseguidas.
    Em relação aos lobos, também tenho sentido falta, em especial do Ghost, mas já li algures que ele vai aparecer no próximo episódio :)
    Também tenho gostado muito do Sean Bean, que só confirma a qualidade que já lhe reconhecemos.

    Rodrigo,
    Em relação à forma como os não-leitores estão a acompanhar a série, acho que realmente pode haver algumas dificuldades, mas se estiverem dispostos a continuar a ver, acredito que passem rápido. ;)

  8. Daniel says:

    No final do episódio, quando o Ned está a ver a Arya a praticar e se ouve o entrechocar de espadas, pensava que iam acabar com um flashback para o sonho da Tower of Joy, que é uma das minhas passagens preferidas.

    Adorava vê-lo num episódio!

Leave a Reply

Partilhar