Entrevista a D.B. Weiss e David Benioff

Maureen Ryan, da TV Squad, publicou um excerto de uma entrevista com os produtores da série D.B. Weiss e David Benioff. Aqui fica a tradução:


MR: É difícil gerir as expectativas das pessoas? Os media, incluindo eu própria, estão sempre a pedir mais e os fãs têm as suas próprias ideias específicas sobre o que querem. Tem sido um desafio negociar tudo isso?

DB: Diria que nem por isso, porque tenho estado muito mais preocupado com o George - a reacção do George à série e as nossas reacções pessoais à série. O que sinto é que, se o George adorar a série, e se nós - que somos tão dedicados a isto como qualquer outra pessoa, tendo passado os últimos cinco anos da nossa vida em Westeros - o nosso sentimento básico é que se conseguirmos fazer o George feliz, conseguiremos fazer a maioria dos seus fãs felizes. Foi o George que criou este mundo, por isso é com ele que estamos mais preocupados. E acho que somos bastante auto-críticos. Por isso, é impossível preocupar-mo-nos em tentar satisfazer um milhão de pessoas. É mais fácil perceber uma única pessoa, o criador.
E toda a gente fala nos fãs, se "Conseguirão agradar aos fãs?". Mas os fãs não são uma base homogénea. Têm todo o tipo de diferentes opiniões. As pessoas têm opiniões radicalmente opostas em relação ao elenco e ao aspecto de várias coisas. Vêem-se grandes discussões e as pessoas a andarem para trás e para a frente com argumentos muito verbosos e bem formulados, desta e daquela forma. Mas as pessoas não chegam a um consenso e é assim que deve ser. Elas não vão concordar com tudo o que fazemos na nossa versão, mas acho que será uma versão bastante fiel.

MR: É pouco comum uma série terem fãs tão activos e apaixonados antes de uma série de TV começar sequer a ser transmitida.

DBW: Sim. Com os filmes é mais comum. Os filmes "Harry Potter" [tinham uma fandom estabelecida] e esses filmes eram provavelmente bastante dirigidos aos fãs.

DB: Mesmo com as coisas que não se enquadram dentro de um género em especial; as pessoas por todo o mundo que leram "O Menino de Cabul" [um filme para o qual Benioff escreveu o argumento], por exemplo, estavam obcecadas com o livro. Este é um conjunto de fãs anormalmente articulado e obcecado. As pessoas sentem-se realmente ligadas a estes livros, o que é óptimo, por um lado, porque a razão pela qual se sentem ligadas é porque os livros são tão bons. O George criou um mundo imaginado de uma forma tão rica que as pessoas se podem perder lá dentro e não querem que ele seja estragado. E nós também não o queremos estragar.

Leave a Reply

Partilhar